segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Papa Francisco escolhe cardeais que defendem os imigrantes, as diaconisas na Igreja Católica e o controle de armas nos EUA

Papa almoça com idosos e pobres em refeitório em Florença (2015). Foto: L'Osservatore Romano

Em um movimento que irá abalar a maneira como a hierarquia americana opera, o Papa Francisco anunciou, no domingo (09/10), a criação de 17 novos cardeais, incluindo três bispos americanos: Dom Blase Cupich (de Chicago), Dom Joseph Tobin (de Indianápolis) e Dom Kevin Farrell (ex-bispo de Dallas que foi designado no começo do ano pelo papa para liderar o novo dicastério vaticano voltado à família).

O impacto sobre como a Igreja opera nos Estados Unidos poderá ser imenso.

Dom Blase Cupich

Cupich é um aliado-chave de Francisco nas reformas propostas que os apoiadores dizem que pode tornar a Igreja mais acolhedora aos católicos insatisfeitos. A abertura de Tobin em relação a mais oportunidades às mulheres na Igreja e o seu apoio para o reassentamento de refugiados sírios, mesmo contra objeções de vários campos políticos, o colocam em plena sintonia com a pauta do papa.

Em nível nacional, Cupich vem urgindo publicamente os seus colegas bispos a passar mais tempo discutindo questões como a reforma imigratória e os direitos dos trabalhadores. No encontro da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA no ano passado, por exemplo, o arcebispo foi ao microfone para pedir que a imigração fosse incluída na lista de prioridades-chave que orienta o trabalho episcopal no país.

Dom Joseph Tobin

Enquanto a nomeação de Cupich já era esperada, a de Tobin se apresenta como um fator-surpresa.

Esta semana, Tobin manifestou o seu apoio à ideia de haver mulheres servindo como diaconisas na Igreja Católica, e com isso a possibilidade de que possam pregar na missa.

Segundo o sítio eletrônico National Catholic Reporter, durante uma sessão de perguntas e respostas num congresso católico para mulheres, o arcebispo falou que estava “esperançoso” quanto à possibilidade de haver diaconisas.

“Tenho orado para que o Papa Francisco possa trazer coisas boas com sua promessa de encontrar funções mais incisivas e visíveis às mulheres na Igreja”, disse Tobin de acordo com site.

Dom Kevin Farrell

A elevação a cardeal de Farrell vai ter um impacto menor sobre como a Igreja opera nos EUA, mas o movimento significa que ele vai se tornar a mais alta autoridade americana trabalhando em Roma.

O bispo nascido na Irlanda passou grande parte de sua carreira atuando em Washington, DC, antes de ser nomeado chefe da Igreja em Dallas no ano de 2007. Nos últimos anos, o bispo, pessoa antenada nas mídias sociais, tem escrito em seu blog sobre a necessidade de haver leis que regulam melhor o controle de armas.

Quando forem feitos cardeais numa cerimônia no Vaticano, coincidindo com o fim do Ano Santo da Misericórdia, os arcebispos Cupich e Tobin tornar-se-ão duas das vozes católicas mais poderosas nos EUA.

Essas escolhas demonstram que Francisco deseja que a Igreja americana se centre mais em questões como a imigração e o papel da mulher na Igreja, contornando os centros tradicionais do poder a fim de encontrar líderes que tenham o cheiro das ovelhas, como disse o papa.

Fonte: IHU Online

Nenhum comentário: