segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Inflação alta, aumento do desemprego e reduções/cortes no Bolsa Família elevam o sofrimento das famílias pobres

Foto: Agência Brasil

O Brasil vive um dos piores retrocessos sociais das últimas décadas.

As medidas econômicas do governo de Michel Temer, com cortes nos programas sociais, estão afetando terrivelmente as famílias mais pobres do país, e em breve atingirá também a classe média brasileira, bestificada pelas informações de veículos de comunicação financiados pelo atual governo [clique aqui], com o congelamento, pelos próximos 20 anos, de investimentos em setores sensíveis à população, com a aprovação da PEC 241/55.

Com o crescimento do desemprego [clique aqui], a inflação elevada [clique aqui] e o corte de benefícios sociais [clique aqui], o quadro de miserabilidade da população brasileira tende a aumentar neste ano de 2017.

No caso do Nordeste, o quadro pode ser ainda mais desolador devido à prolongada estiagem que atinge esta região há seis anos consecutivos, desestabilizando as famílias já penalizadas pelo fenômeno climático.

O texto [abaixo] publicado pelo valoroso Padre Djacy nas redes sociais nesta segunda-feira, dia 02 de janeiro de 2017, esboça a situação dramática da população sertaneja na Paraíba, e que certamente se estende à população dos demais estados nordestinos.

Não é possível [expresso como forma de lamento, pois muitos silenciam] que os governantes, lideranças religiosas e a sociedade civil organizada silenciem diante deste apelo dramático e urgente. A fome e a sede têm pressa.

***

URGENTE: VÍTIMAS DA SECA CLAMAM POR CESTAS BÁSICAS.

Moro no sertão, convivo com o povo, noite e dia. Conheço de perto sua dura e triste realidade.

A cada dia que passa, as vítimas da seca sofrem, e como sofrem. O desespero vai se agigantando. O cenário é desesperador.

O clamor dos sertanejos pobres, sofridos, desamparados, é grande. Falta água, falta comida.

Diante dessa triste situação, como Padre, SUPLICO que os governos- estadual e federal- socorram urgentemente com CESTAS BÁSICAS, esses irmãos do sertão.

Os sertanejos precisam de água e alimentos. Não custa nada socorrê-los, repito, com cestas básicas: feijão, arroz, macarrão, açúcar, café etc.

Socorrer as vítimas da seca, neste momento, com água e cestas básicas deve ser prioridade número um para qualquer governante sensível e humano.

OBSERVAÇÃO:

Com a elevação dos preços dos alimentos, o dinheiro do Bolsa Família tornou-se insuficiente para comprá-los.

Imagine uma família numerosa se mantendo com trezentos reais do Bolsa Família. É impossível viver dignamente.

Padre Djacy Brasileiro, em 02 de janeiro de 2017.

Nenhum comentário: