Páginas

sexta-feira, 31 de março de 2017

5º Domingo da Quaresma: Jesus Cristo, o Senhor da vida

Por Pe. Cícero Roberto
Vigário da Paróquia N. Sra. da Piedade (Arara/PB)

A Liturgia da Palavra deste domingo, apresentando Jesus Cristo como o Senhor da Vida, conclui o “itinerário do ser cristão”, com os temas dos dois domingos anteriores: Cristo, água que mata a nossa sede, e Luz do mundo.

Vivendo no exílio da Babilônia, o povo descrente perde a esperança e a perspectiva de um futuro melhor. O profeta Ezequiel anuncia a libertação e a certeza de uma nova vida para o povo, dizendo: “Quando eu abrir vossas sepulturas, e vos fazer sair delas, porei sobre vós o meu Espírito, para que vivais”. Deus faz brotar a vida da morte, da escravidão à libertação (Ez 37,12-14).

Já Paulo, lembra que a ressurreição de Cristo é a certeza da nossa ressurreição. Pelo batismo recebemos o mesmo Espírito de vida, que ressuscitou Cristo dentre os mortos (Rm 8,8-11).

O Evangelho de João, narrando a ressurreição de Lázaro, por Jesus, é apresentado como sendo o Senhor da vida (Jo 11,1-45). O evangelista narra a situação de tristeza e dor de Marta e Maria, por causa da morte do irmão, Lázaro. Uma família amiga de Jesus, que não tinha pais... Mandam dizer a Jesus: Senhor, aquele que amas está doente. Após permanecer dois dias onde se encontrava, quando decide ir a Betânia, na Judéia.

Os discípulos tem medo, mas Jesus os tranquiliza dizendo: "O nosso amigo Lázaro dorme... está morto, mas eu vou acordá-lo". Chegando em Betânia, encontra-se com Marta, que diz: Senhor, se tivesse estado aqui, meu irmão não teria morrido; disse-lhe Jesus: "Eu sou a ressureição e a vida... aquele que crer em mim, mesmo que morra, viverá... não morrerá jamais, crês isto? Ela professa sua fé em Jesus: Sim, Senhor, eu creio que tu és o Filho de Deus, que deveria vir ao mundo”.

Juntos ao túmulo, ambos choram. Jesus, comovido, pede que tirem a pedra, e reza: “Pai, te dou graças porque me ouviste. Eu sei que...” Depois ordena: “Lázaro, vem para fora”, e Lázaro volta à vida. A ressurreição de Lázaro é um Sinal da prefiguração da Ressurreição de Jesus e dos que creem e praticam a sua Palavra. Nesse caso, a morte é apenas a passagem para a vida plena.

A família de Betânia, como as famílias de todos os tempos, faz a experiência da doença, da dor e da morte. Essa família não tem pais, é só irmão e irmãs. Sempre acolheram Jesus em sua vida e na sua casa. Ela representa a comunidade cristã de todas as épocas.

Uma família quando não se ama, quando um casal não se perdoa, está morta; Quando um jovem se deixa corromper pela droga, está morto. Quando há brigas, divisão na comunidade, há morte, assim como há nas pastorais e movimentos.

Nenhum comentário: