Páginas

sábado, 29 de abril de 2017

3º Domingo da Páscoa (Ano A): Reconheceram Jesus ao partir o pão

Discípulos de Emaús: obra de Cláudio Pastro

Por Pe. Cícero Roberto*

A Liturgia da Palavra deste domingo (30/04) nos convida descobrir a presença de Cristo ressuscitado nas Comunidades e em nosso dia a dia de fé.

Lucas narra a aparição de Jesus a dois discípulos decepcionados, abandonando a Comunidade, por verem seus sonhos frustrados com a morte de cruz de Jesus, (Lc 24,13-35). É o domingo da ressurreição, Jesus aparece, se faz desconhecedor dos últimos acontecimentos em Jerusalém, mas quando um dos discípulos o informa sobre o acontecido, ambos são repreendidos: “Como sois sem inteligência e lentos para entender as Escrituras Sagradas”, (v. 25). E caminhando com eles ia explicando os textos da Bíblia que se referia a ele. Ao chegarem a casa, Jesus é convidado a permanecer com eles naquela noite: “Fica conosco, já é tarde, a noite está chegando”. Quando sentaram à mesa, Jesus tomou o pão, o abençoou, o partiu e lhes distribuiu. E nesse instante os olhos da fé e o coração dos discípulos se abriram e reconheceram Jesus, (v. 29-32).

No Evangelho, Lucas indica três “sinais” através dos quais podemos descobrir a presença viva de Cristo ressuscitado: 1. Na Igreja, quando acolhemos e meditamos a Palavra, quando nos colocamos em oração e o recebemos na Eucaristia, ou celebramos os demais sacramentos. Como o disse Jesus: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estarei no meio deles” (Mt 18,20);  2. Na Palavra, quando acolhida com fé, ela abre nossa inteligência para entender o mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus. Não podemos compreender o Projeto Salvador de Jesus se não acolhemos, na fé, a Palavra que é vida e verdade que elimina as tristezas, as decepções e nos reanima na caminhada de fé e na esperança do encontro com Cristo vivo; 3. Na Eucaristia: Na celebração Eucarística fazemos a experiência do encontro pessoal com Jesus Cristo vivo, em corpo e sangue, oferecidos em alimento. Ela fortalece a fé, a vida cristã, aumenta a esperança e a certeza do encontro com Jesus, invisível na pessoa do próximo. “Façam isso em minha memória”.

Na sociedade que vivemos, onde predomina o egoísmo, a violência, a falta de ética e de respeito aos valores da fé cristã, somente acolhendo a Palavra do Peregrino, é que podemos adquirir coragem e força para vencer as decepções, as tristezas, as desilusões e os cansaços do nosso caminhar rumo à Jerusalém Celeste. Não espere acontecer um fato extraordinário na sua vida ou da família para ir ao encontro de Jesus. Lembre-se da promessa de Jesus: “Eu estarei com vocês todos os dias... e felizes os que creem sem me ter visto”. Por tudo que se ouve dizer ou que se vê, parece que Deus nos “abandonou” à mercê da tirania burguesa. É o pensar de desânimo dos discípulos de ontem, Emaús, e os de hoje, os “cristãos”.

Não nos desanimemos, não percamos a esperança, Jesus está vivo e ressuscitado, e caminha ao nosso lado; Abramos nosso coração e nosso olhar da fé, mesmo angustiados e incapazes de O reconhecer, pois Ele é nossa luz e nossa Paz.

Para refletir: Não basta ter fé no Cristo vivo e ressuscitado, se suas atitudes não correspondem com a verdadeira fé! Será que acolho a Palavra de Deus e a Eucaristia como sendo dons da graça de Deus, oferecidos por Jesus Cristo como alimento da minha fé? Por menor que seja a sua fé, faça esse pedido Jesus Cristo: “Fica comigo, Senhor! Abra os olhos da minha fé, pois eu não consigo te reconhecer na pessoa do outro!”

* Vigário da Paróquia N. Sra. da Piedade (Arara/PB)

Nenhum comentário: