Páginas

sábado, 13 de maio de 2017

5º Domingo da Páscoa. Jesus: O Caminho, a Verdade e a Vida


Padre Cícero Roberto*

Neste quinto domingo de Páscoa, o evangelista João (14,1-12) nos a presenta Jesus se despedindo e aconselhando os seus discípulos: “Vou preparar um lugar para vocês na morada do Pai, não se perturbe, vocês conhecem o caminho, tenham fé e confie em mim, eu voltarei e levarei vocês comigo. Se vocês me conhecem, também conhecem o Pai”. Tomé, não acredita, tem dúvidas, então Jesus responde: “Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida”, (V 1-7 ). Felipe, também tem dúvidas. Jesus o repreende dizendo: “Há tanto tempo estou convosco e não me conheces, Felipe? Quem me viu, viu o Pai”, (V8-9).

Se Jesus elimina as dúvidas, as incertezas, a falta de fé dos Apóstolos, que conviveram alguns anos com Ele, hoje também elimina as dúvidas, as incertezas, as tristezas, as dores, e a falta de fé, tanto dos discípulos ordenados, como dos leigos. Quem anda no Caminho da Verdade, e tem um olhar de fé voltado para a vida, paixão, morte e ressurreição de Cristo, é capaz de enxergar nele a imagem do Pai. Não há sabedoria humana que nos leve a Deus, a não ser a sabedoria do Espírito Santo, que nos faz ser Comunidade, Igreja que ama, perdoa, acolhe, partilha e serve aos mais necessitados.

Foi assim no início da Igreja, é assim que deve ser hoje, ou pelo menos devia ser... É o que nos propõe as leituras de hoje, quando nos falam da experiência de fé partilhada da Comunidade dos Apóstolos, que administra com serenidade os primeiros problemas surgidos na Igreja: Os Apóstolos, ao tomarem conhecimento dos problemas da Comunidade, inspirados pela sabedoria divina, tomam consciência de que sozinhos não conseguem resolver tais problemas, por isso decidem partilhar os serviços.

Sugerem que os discípulos escolham entre eles sete homens estimados na comunidade, repletos da sabedoria divina, para o serviço das mesas, enquanto que os Apóstolos continuariam cuidando do anúncio da Palavra, e do Culto. É o início da Comunidade servidora, da Igreja hierárquica, que sabe partilhar responsabilidades. É a Igreja iluminada pelo Espírito do Cristo Ressuscitado, com a missão de anunciar a Palavra, celebrar a Eucaristia e a Caridade, (At 6,1-7). São Pedro compara a Igreja a “Pedras vivas”, nação santa e sacerdotal, (1Pd 2,4-9).

A Igreja, instituída por Jesus e conduzida pelo Espírito Santo, é formada pelos Apóstolos e pelo povo convertido à fé cristã. Seja ela diocesana ou paroquial, não é propriedade particular de “A ou B”, nem tão pouco instituição financeira de ninguém, de quem quer que o queira, ela é uma Instituição divina e não humana. Os atuais “apóstolos”, em comum-união com os demais cristãos, são simples servidores do Reino do Senhor, assim como foram os Apóstolos e os cristãos, no início da Igreja.

A Igreja, como Casa do Pai, como instituição divina, tem lugar para todos. Se seus membros forem organizados nas diferentes tarefas, tais como o serviço da Caridade, da Palavra e do Culto, torna-se, como nos ensina Pedro, um “edifício espiritual”, cuja Pedra fundamental é Cristo Jesus, e nós simples “Pedras na construção desse edifício”. Do contrário, Jesus Cristo não se faz presença, e tal “igreja” não passa de um simples sindicato.

Pontos de reflexão: “Na Casa de Deus", ainda há muitos lugares!... Por que será? Será falta de oportunidades? Se você se considera "Pedra viva", membro da Comunidade paroquial, o que lhe impede de ser atuante, um evangelizador, um anunciador da Palavra de Deus?

Na sua Comunidade tem um plano Pastoral? Na sua Comunidade todos tem oportunidades? As Pastorais, os Movimentos, e os Ministérios são atuantes e animam os diversos setores da Comunidade? Como você gostaria que fosse a sua Igreja? O caminho que você percorre é o da Verdade ou o das mentiras, o da inclusão ou o da exclusão? Não fique apenas olhando de longe, criticando, não seja omisso, seja um fiel peregrino no Caminho da fé, construtor da paz, da Comum-união nesse “Edifício Espiritual da Fé!

Que Cristo Jesus, pelas mãos de sua Mãe, Nossa Senhora de Fátima, abençoe todas as Mães.

*Vigário da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, Arara/PB.

Nenhum comentário: