Páginas

domingo, 25 de junho de 2017

Deus nunca abandona os que testemunham a Palavra libertadora de Jesus


Por Pe. Cícero Roberto
Paróquia Nosso Senhor do Bonfim - Serra da Raíz

Não tenham medo.

A primeira leitura deste domingo nos fala da perseguição das autoridades de Jerusalém ao profeta Jeremias por ele anunciar que Deus vai fazer cair uma terrível desgraça sobre o povo de Israel. Jeremias é preso e abandonado pelo povo. Mas mesmo assim ele não desiste em anunciar a Palavra de Deus, (Jr 20,10-13). No início da Missão Jeremias tem medo, se desculpa diante de Deus dizendo: "Vê, Senhor, eu não sei falar, sou ainda uma criança". Apesar das desculpas de Jeremias, Deus o envia à missão dizendo: "Para onde eu te enviar, irás; e o que eu te mandar, farás: não tenhas medo, pois eu estarei contigo para te livrar", (Jr 1, 6-8).

Jeremias confia na palavra de Deus, vai a Jerusalém e acusa as autoridades, desmascara suas trapaças e prediz a destruição do templo. Os líderes do povo de Israel o chamam de "Profeta da desgraça". É preso e abandonado pelo povo. Ele sabe que Deus nunca abandona os que procuram testemunhar no mundo a Palavra Libertadora de Jesus, com coragem e verdade.

São Paulo afirma que para a salvação o essencial não é cumprir a Lei de Moisés, mas acolher a oferta de Salvação, que Deus faz a todos em Jesus, (Rm 5,12-15).

Já o Evangelho narra as orientações de Jesus, ao enviar os apóstolos em Missão, com a seguinte recomendação: “não tenhais medo”, (Mt 5,12-15). Jesus aponta três tipos de medo: O medo do fracasso, em função das provações e das dificuldades; O medo da morte, por causa das perseguições e maus tratos...; O medo pela sobrevivência. Apesar das grandes dificuldades da missão, apontadas por Jesus, os discípulos são orientados a terem confiança na Providência de divina dizendo: Se Deus cuida dos pássaros... tanto mais dos discípulos do seu Filho... Não tenhais medo dos homens... Confiem em Deus! Perseguição, calúnias, mentiras, violências e mortes aos cristãos fiéis, sempre teve e sempre terá, não é por isso que devemos ter medo. Não podemos esconder no fundo do coração a Luz divina, acesa pelo Espírito Santo na ocasião do batismo. Vamos zelar esse tesouro presente em nosso coração, e cuidar de preservar os valores da fé que professamos.

Atualmente, além do medo da violência e do desemprego, do fantasma da vergonha, ainda há a omissão frente os critérios adotados, pela atual sociedade, sobre o amor, o casamento, a família, o sexo, o divórcio, o aborto, a libertinagem, a educação, a liberdade, os direitos humanos... Esse ambiente doentio, consequência da ausência dos valores cristãos e de uma fé ativa, é, hoje, um grande impedimento ao anúncio da Palavra de Deus.

O que você acha da advertência de Jesus: “Quem me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai, que está nos céus". Como aos discípulos de ontem, também hoje, Jesus convida-nos a não ter medo: “Não tenham medo, eu venci o mundo”. Você, eu, somos convidados a ter coragem de professar a fé cristã publicamente e testemunhá-la com coragem, anunciando o Evangelho ao mundo... A falta de ética, de moral, em todos os seguimentos da atual sociedade, é um convite à coragem e mudança de mentalidade. Somente assim podemos eliminar o medo e o fantasma da vergonha que impede anunciar o Reino de Deus. Nem a perseguição, nem a morte, nada deste mundo nos deve levar a desacreditar na Palavra de Jesus que declara: ”Estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo”. Quando fazemos a vontade de Deus não se deve temer a nada deste mundo, nem mesmo os que só podem matar o corpo. Ora, se Deus cuida das aves do céu e sabe até quantos cabelos temos na cabeça, quanto mais de seus discípulos?

Nenhum comentário: