Páginas

domingo, 13 de agosto de 2017

"Coragem! Sou Eu. Não tenham medo"

Jesus andando sobre as águas. Autor: Amédée Varint (Século XIX).

Pe. Cícero Roberto
Paróquia N. S. do Bonfim (Serra da Raiz)

Liturgia da Palavra do 19º Domingo do Tempo Comum, Ano A.

As Leituras deste domingo nos mostram como Deus tem se revelado ao povo de Israel ao longo da História. Na 1ª leitura, 1Rs 19,9ª.11-13, o escritor narra que o profeta Elias, perseguido pela rainha Jesabel, foge deserto a dentro e no monte Horeb se esconde numa gruta, e espera que Deus se revele. Passou um forte vendaval, um terremoto, veio um fogo, mas Deus não estava em nenhum desses sinais. Depois veio uma suave brisa, e nela Deus se revelou ao profeta Elias.

Esse relato nos ensina que a prudência nos conduz, na paciência, ao encontro pessoal com Deus, que se revela de preferência em lugar silencioso. É preciso ter, sobretudo, fé e paciência.

Nos últimos tempos, diz Paulo, Deus tem se revelado como oferenda, proposta de Salvação, em seu Filho Jesus, mas o seu povo, infelizmente, a rejeitou (Rm 9,1-5). Paulo faz esse anúncio consciente e constata, com muita tristeza no seu coração, a indiferença dos Israelitas em não aderir ao Salvador Jesus Cristo.

O Evangelho narra que Jesus, após a multiplicação dos pães, ordena seus discípulos atravessarem à outra margem do mar, enquanto Ele vai ao monte rezar. É noite e a barca é agitada pelos ventos. Pela madrugada, Jesus vai ao encontro dos discípulos, "caminhando sobre o Mar". Os discípulos se assustam, mas Jesus se identifica: "Coragem, sou Eu, não tenham medo". Pedro grita: "Se és Tu, manda-me caminhar sobre as águas". Pedro vai ao encontro de Jesus; o vento começa assoprar, ele tem medo e a pouca fé o faz afundar, e grita: "Salva-me, Senhor!". Jesus estende a mão e o adverte: “Homem de pouca fé, porque duvidaste?" Jesus entra na Barca e a tempestade passa. Os apóstolos assustados se prostram em adoração a Jesus, e dizem: "Verdadeiramente Tu és o Filho de Deus" (Mt 14,22-33).

Mateus nos apresenta uma catequese sobre a caminhada inicial da Igreja, da Comunidade dos discípulos de Jesus, em missão. É um pequeno histórico sobre os desafios, as dificuldades enfrentadas pela Comunidade Cristã, simbolizada pelo barco remando na contra mão do vento, sendo açoitado pelas ondas do mar em fúria, nos primeiros anos da ação evangelizadora da Igreja. Segundo o texto bíblico, tudo acontece a noite, sem a presença de Jesus, o medo toma conta dos discípulos, mas tudo passa quando Jesus entra no barco: cessam os ventos, o mar se acalma, o medo desaparece e os discípulos fazem uma profissão de fé: “Verdadeiramente, Tu és o Filho de Deus”.

Isso tudo corresponde à nossa travessia no “mar da vida”: A "noite" representa as trevas, a insegurança que atinge os cristãos, de ontem e de hoje, fracos na fé, que muitas vezes não sabem que rumo dar à sua vida. A barca representa a Igreja, a Comunidade cristã sendo perseguida pelas forças do mal, adversárias do Reino de Deus. As "ondas" representam a hostilidade do mundo contrário ao Projeto de Salvação anunciado pela Igreja, que é a barca de Pedro. Os "ventos contrários" representam as forças ocultas de resistência ao projeto de Salvação de Jesus Cristo, anunciado pela Igreja.

Assim como aconteceu no início da Igreja, quando os discípulos fragilizados na fé se sentem incapazes de enfrentar as forças do mal que se lançam contra o barco, na ausência de Jesus, também acontece nos dias de hoje. O caminho da fé cristã é estreito e difícil de andar. Muitos cristãos ficam perdidos na fé, e quando surgem os sofrimentos, as tribulações, as dificuldades, a frustração, o desânimo, a desilusão tomam conta desses corações fragilizados na fé. Apesar das “tempestades” da corrupção, dos escândalos no seio da sociedade, dentro e fora do “barco”, da violência, da falta de temor a Deus, os discípulos devem permanecer firmes na fé e cientes da presença de Jesus nessa travessia agitada da vida, estendendo a mão aos náufragos da fé e advertindo: ”Coragem! Sou eu. Não tenhais medo.

Estamos iniciando, neste dia dos pais, a semana de oração pela família. É bom lembrar que nenhuma família está isenta dos "vendavais", que se formam dentro e fora do lar.

Se vocês pais ou filhos estão passando por uma “tempestade” qualquer, tenham fé, confie na proteção do Senhor Jesus, gritem por socorro, a exemplo de Pedro, Ele vai estender sua mão, entrar no barco da sua vida, aí os vendavais e as ondas vão cessar, a tranquilidade e a paz vão reinar em seus corações, em sua vida e na família.

Nenhum comentário: