Páginas

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

IBGE divulga estimativa populacional 2017; Confira o resultado de Belém/PB e dos municípios da Microrregião de Guarabira

Belém da Paraíba. Foto: Douglas Rocha
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quarta-feira (30/08), as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho de 2017.

Segundo o IBGE, o município de Belém, no Agreste paraibano, tem uma população estimada em 17.685 hab., e se aproxima, lentamente, da marca de 18 mil habitantes, pois no ano passado a população do município era estimada em 17.640 hab. Porém, é o segundo município com a maior população na microrregião de Guarabira, perdendo apenas para o próprio município de Guarabira, com a população estimada em 58.881 hab. Já a Paraíba ultrapassou a marca dos 4 milhões de habitantes, e estima-se que o Brasil tenha 207,7 milhões de habitantes.

Na microrregião de Guarabira, composta por 14 municípios, os resultados da estimativa populacional foram os seguintes: Alagoinha (14.464 hab.), Araçagi (17.003 hab.), Belém (17.685 hab.), Caiçara (7.283 hab.), Cuitegi (6.790 hab.), Duas Estradas (3.594 hab.), Guarabira (58.881 hab.), Lagoa de Dentro (7.670 hab.), Logradouro (4.343 hab.), Mulungu (9.922 hab.), Pilõezinhos (5.080 hab.), Pirpirituba (10.585 hab.), Serra da Raiz (3.121 hab.) e Sertãozinho (5.044 hab.)

Quase um quarto dos 5.570 municípios brasileiros (24,7% ou 1.378) tiveram taxas geométricas negativas, ou seja, apresentaram redução populacional. Em mais da metade dos municípios (53,6% ou 2.986) as taxas de crescimento populacional foram inferiores a 1%, e em 258 municípios (4,6% do total) o crescimento foi igual ou superior a 2%.

Estimativas populacionais do IBGE

As populações dos municípios foram estimadas por um procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos munícipios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010). As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013. 

Com informações do IBGE

Nenhum comentário: