Páginas

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

A voz que clama

Pe. Cícero Roberto

Neste Domingo (17/12) somos convidados a dar, com alegria, testemunho da fé cristã que professamos e que vivenciamos no dia a dia.

O Profeta Isaías é o mensageiro da esperança para o povo de Israel que, voltando do exílio está abatido, desiludido por encontrar sua terra em situação de abandono. Apesar do sofrimento e da dor, o povo acolhe com alegria a Palavra de Salvação e de libertação anunciada pelo profeta (Is 61,1-2.10-11).

Paulo motivava os cristãos Tessalonicenses dizendo: "Sede sempre alegres. Rezai sem cessar, e dai graças a Deus. Examinai tudo e o que for bom guardeis” (1Ts 5,16-24). Com certeza a verdadeira alegria não é a alegria das comidas e das bebidas, das festas de fim de ano! A alegria cristã não é uma atitude passageira das festas humanas, mas um estado de espírito permanente de quem confia que a vida cristã é uma caminhada no deserto da vida ao encontro do Senhor que veio e que vem. Ela é fruto da presença de Deus em nosso coração.

O Evangelho apresenta João Batista como sendo o mensageiro fiel de Jesus Cristo, anunciando que Jesus é a “Luz”, e dizendo aos sacerdotes e levitas: "Já está no meio de vós aquele que ainda não conheceis..." (Jo 1,6-8.19-28). João Batista [não] dá testemunho de si mesmo quando questionado pelos líderes religiosos de Israel: Afirma não ser o Messias, nem Elias, nem o Profeta, mas apenas uma "VOZ" que clama no deserto, convidando o povo para preparar o caminho do Senhor (Jo 1,20-23). Ele aponta para a única LUZ: Jesus Cristo, o Messias, capaz de dissipar as trevas e iluminar o Caminho que conduz as pessoas para os braços do Pai. João ensina que é preciso, antes de tudo, retirar os obstáculos do coração, para enxergar a presença da Luz, de Jesus Cristo em nosso meio e na família.

Celebrar o Natal, o nascimento de Jesus, não é celebrar uma data do passado, mas celebrar um encontro com Jesus Cristo, que ilumina nossa vida e nos enche de paz e de alegria!

João cumpriu sua missão: Foi a “Voz” clamou no deserto, convocando os filhos de Israel para “preparar o caminho do Senhor”; indicou a presença de Jesus, como sendo a Luz que veio dissipar as trevas existentes nos corações do povo de Israel. Hoje a missão é nossa, é de todos os cristãos, é de quem vier e quiser ser uma "voz", por mais humilde que seja, no “deserto” das famílias e da nossa sociedade mergulhada nas trevas da descrença religiosa, da injustiça e da corrupção, para preparar a segunda vinda de Cristo, testemunhando sua presença em nosso meio. Essa missão não é uma promoção pessoal, para receber aplausos, mas assumida humilde e discretamente, a exemplo de João Batista, tão somente anunciar a mensagem e testemunhar a pessoa de Cristo, que veio e que vem...

O cristão, renascido na fé do Batismo, é necessariamente um agente da “Igreja em saída”; deve ter consciência da fé que professa e da pertença ao Reino de Deus que, através da Igreja, dos seus mensageiros, quer ir ao encontro das “ovelhas desgarradas do rebanho”.

Que São João Batista nos ajude a perseverar a nossa vivencia cristã.

Reflita: Você está se preparando para celebrar o Natal de Jesus com que atitude? A de grandeza ou a de humildade? Cultivar a humildade é ser discreto e simples, para que as pessoas não vejam você o tal, mas a Jesus como Luz. Ser assim, é ser um fiel testemunho de Cristo já presente em nosso meio, é fazer a verdadeira experiência de humildade de João Batista. As pessoas autossuficientes não são capazes de reconhecer a presença da "Luz”. Esses fazem a experiência dos fariseus e são os falsos testemunhos!

Nenhum comentário: