Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Ao SBT, Bolsonaro diz que trabalhadores brasileiros têm direitos em excesso e que vai ampliar Reforma Trabalhista aprovada pelo Governo Temer

Foto: Reprodução

Em sua primeira entrevista concedida como presidente [ao SBT], Jair Bolsonaro reafirmou sua visão de que é preciso aprofundar a reforma trabalhista aprovada pelo Governo Temer: “O Brasil é o país dos direitos em excesso, mas faltam empregos. Olha os Estados Unidos, eles quase não têm direitos. A ideia é aprofundar a reforma trabalhista”, afirmou a jornalistas do canal SBT, na noite desta quinta-feira.

Em dezembro, o então presidente eleito havia sido incisivo ao dizer que a legislação trabalhista teria "que se aproximar da informalidade" para que empregos pudessem ser gerados. Em outras ocasiões, Bolsonaro já havia falado sobre o "tormento" de ser patrão no país, algo que repetiu em teor semelhante nesta quinta: "Eu não quero, eu podia ter uma micro empresa com cinco funcionários. Não tenho por quê? Eu sei das consequências depois se o meu negócio der errado, se eu mandar alguém embora, entre outras coisas. Devemos mudar isso daí". Por fim, o presidente (...) atacou o Ministério Público do Trabalho, cujas atribuições incluem fiscalizar trabalho em condições análogas à escravidão, trabalho infantil e outras irregularidades, e a própria existência da Justiça do Trabalho. (...)

Durante a campanha, a proposta de criar uma carteira de trabalho alternativa, "verde e amarela", foi apresentada como um dos grandes trunfos do plano de Governo para resolver o problema do desemprego. Além da capa inovadora, nas cores da bandeira nacional ao invés da tradicional azul-escuro, o documento contemplaria novas regras para um regime de trabalho “flexibilizado” – e, pela legislação vigente, contrário à Constituição Federal e à CLT. Paulo Guedes, o poderoso ministro da Econômica do Governo Bolsonaro, já adiantou que estes contratos (...) vão “libertar” o trabalhador da “legislação fascista” da CLT. (...)

A CLT criticada pelo ministro de Bolsonaro garante ao trabalhador, por exemplo, vale-transporte, férias e abono, justificativa de faltas por falecimento do cônjuge, pai, mãe, filhos e irmão, licença-paternidade, adicional noturno, 13º salário, FGTS, entre outros benefícios.

Com informações do El Pais

Nenhum comentário: