Páginas

domingo, 27 de setembro de 2020

Semiárido brasileiro perdeu 26,96% de cobertura vegetal em 18 anos, diz estudo da UFPB


Estudo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) aponta que o Semiárido brasileiro perdeu 26,96% de cobertura vegetal em 18 anos, entre 2001 e 2018. A área desmatada, de 60.769,39 km², é maior do que a do estado da Paraíba, que tem 56.585 km².

De acordo com a pesquisa da UFPB, a região semiárida brasileira, que abrange os estados da região Nordeste, além de 13,52% do Sudeste, tinha uma cobertura florestal de 225.412,80 km² em 2000.

De 2001 e 2018, a maior perda de área florestal ocorreu em 2016. A menor, em 2002. Considerando os resultados desta pesquisa da UFPB, a tendência é de mais destruição. O bioma do Cerrado, presente no interior do Semiárido brasileiro, foi o mais desmatado no período da análise.

Conforme o estudo da UFPB, o Cerrado perdeu 24.376,04 km², o que corresponde a 37,16% de sua área. Com relação aos estados onde o Semiárido brasileiro está presente, o da Bahia foi o que apresentou maiores perdas proporcionalmente, 44,85% de sua área florestada.

Celso Guimarães, professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UFPB e coordenador da pesquisa, esclarece que o Semiárido brasileiro é considerado uma das maiores áreas semiáridas do mundo, cobrindo uma área de 1,13 milhões de km², aproximadamente 12% do território do Brasil.

“Em termos comparativos, é equivalente à área combinada da Noruega, Suécia e Finlândia, na Europa. Aproximadamente 24 milhões de pessoas vivem no nosso Semiárido, ou seja, 13% da população brasileira”, contabiliza o docente da federal paraibana.

Celso Guimarães elucida que o Semiárido brasileiro engloba biomas como o Cerrado, a Caatinga e a Mata Atlântica. “São biomas com uma importância ambiental em termos ímpares de biodiversidade, mas que vêm sendo desflorestados nos últimos anos”, alerta o professor da UFPB.

Fonte: UFPB

Nenhum comentário: